Carta Aberta ao Sr. Guilherme Campos, presidente dos Correios

Sr. Guilherme Campos,

Há alguns anos, neste mesmo Informativo, mandei uma Carta Aberta para outro presidente dos Correios, iniciando da mesma maneira que começo esta, com uma pergunta:
O senhor não se envergonha de presidir uma empresa como a ECT?
Desculpe a pergunta, mas eu teria vergonha de presidir uma empresa que já foi modelo de eficiência e que hoje, infelizmente, rola ladeira abaixo na qualidade dos serviços prestados.
Nem vou abordar aqui o segmento da Filatelia, patinho feio desprezado na sua Empresa e com o qual, mais uma vez infelizmente, estou envolvido até o pescoço no meu negócio – sou comerciante e jornalista filatélico: divulgo, compro e vendo os produtos filatélicos da ECT e, novamente infelizmente, boa parte do desempenho do meu comércio depende da sua Empresa.
Hoje quero tratar dos produtos mais elementares e afins que deveriam ser exemplo de eficiência na ECT: a entrega de correspondências e encomendas. Vamos lá:

– Cartas simples: Há alguns anos, os carteiros faziam entregas diárias das correspondências. Passaram a entregar duas vezes por semana, depois semanalmente, depois quinzenalmente e agora uma única entrega a cada vinte ou trinta dias.
Em 6 de janeiro último a administradora do condomínio no qual tenho apartamento na praia enviou uma convocação para uma assembleia de condôminos a ser realizada no dia 14/01. Carta simples, como costuma ser esse tipo de correspondência. Foi entregue no dia 31 de janeiro. Ainda bem que a síndica também enviou e-mail, pois a assembleia anterior só fiquei sabendo depois de ocorrida, uma vez que a carta também chegou com atraso. A carta foi despachada em São Paulo e eu resido em Jundiaí. O senhor sabe que são cidades próximas, uma vez que é da região: pouco mais de 50km. Percurso da carta: agência de postagem em São Paulo/central de distribuição em São Paulo/central de distribuição em Valinhos ou Indaiatuba/central de distribuição em Jundiaí e entrega no domicílio. Para esse percurso foram necessários 25 dias. Acredito que nem no tempo do Império demorava tanto…
Caso semelhante, um cliente nosso, também da cidade de São Paulo, nos enviou um pedido por carta simples no dia 9 de janeiro. Também foi entregue em 31/01.
Por causa de casos assim, os Correios perdem dia a dia um filet mignon para a empresa: as correspondências corporativas. As contas de telefone ou condomínio, as faturas dos cartões de crédito, nada chega antes da data do vencimento. Até um ano atrás, mais ou menos, todas as minhas contas chegavam via Correios. Hoje as recebo via e-mail ou capturo nos sites dessas empresas, pois não dá mais para confiar no recebimento via ECT.
Culpa do monopólio neste serviço? Não sei, mas sempre defendi esse monopólio, pois somente com ele os Correios conseguem entregar pela mesma tarifa uma carta na mesma cidade ou do outro lado do país, a milhares de quilômetros de distância. Se esse monopólio fosse quebrado, as empresas privadas não aceitariam trabalhar dessa maneira, explorando apenas as correspondências com entregas em curta distância.

– Carta registrada: Esse tipo de remessa os Correios se comprometem a entregar ao destinatário mediante assinatura, com nome legível, de quem recebeu. Mas, pasmem: por aqui virou rotina, talvez para agilizar o serviço, colocar carta registrada na caixa de correio, sem identificar o destinatário, tratando essa remessa como carta simples. Ou seja, os Correios cobram o registro mas não prestam este serviço. Um exemplo: carta registrada postada em São Paulo no dia 30 de janeiro e entregue aqui em 01 de fevereiro, número de registro JR631165757BR. Desafio o senhor a localizar o nome de quem recebeu a correspondência, pois não encontrará.

– Encomendas PAC: Não sei se já informaram para o senhor o que significa “PAC”. Segundo a ECT, o significado desta sigla é “Prático, Acessível, Confiável”. Risível. A única atitude que notei por parte dos Correios para melhorar o índice de encomendas não entregues dentro do prazo foi aumentar o prazo para as entregas. Levei um susto esta semana: No dia 31 de janeiro despachei uma encomenda PAC para a cidade de Novo Progresso, interior do estado do Pará. Prazo de entrega informado pelos Correios: 26 dias úteis. Fui ao calendário: 09 de março. Mais de um mês para entregar uma encomenda. Será transportada em lombo de burro? Bom, para conformar, está compatível com os 25 dias para entregar uma carta simples em uma distância de aproximadamente 50km, não é mesmo?

– Sedex: Nem a “menina dos olhos” dos Correios escapa. Não sei como está Brasil afora, mas por aqui, receber sedex dentro do prazo é exceção e não a regra. Com um agravante, que já vi acontecer muitas vezes, não só aqui mas em outras cidades também: a fraude de informação no sistema de rastreamento, para não caracterizar atraso. Funciona assim: se a unidade de distribuição está com um sedex para entregar no último dia de prazo e não consegue, lança no sistema que saiu para entrega e pouco depois faz novo lançamento: “entrega não realizada – carteiro não atendido”, assim ganha mais um dia para entregar sem caracterizar atraso. Há anos vejo isso acontecer e posso lhe informar um caso recente: SS577837519BR.

No ramo que atuo, a Filatelia, são muitos os problemas. Muitas são as reclamações, pois os Correios estão enterrando este segmento. Mas ficarão para outra oportunidade.
Pois é, sr. Guilherme, quando os Correios divulgam sua performance em pesquisas de opinião, fico me perguntando quem respondeu essas pesquisas.
Sei que tem um agravante: é empresa pública, que sofre muita interferência política na sua gestão. Já conheci muitos gestores na ECT que eu não colocaria para administrar uma barraquinha na feira. Mas conheço também dezenas (talvez centenas) de funcionários na ECT que suam a camisa e fazem o possível e o impossível (às vezes alguns milagres também) para nos oferecer um ótimo atendimento. Fazem isso porque têm uma carreira pela frente, não são efêmeros na empresa como os administradores com indicação política. Desculpe, sei que ocupa um cargo com esse tipo de indicação, mas lhe peço: tire a ECT dessa situação.

Atenciosamente,

Julio César Rodrigues de Castro

correio

Categorias: Sem categoria | 8 Comentários

Navegação de Posts

8 opiniões sobre “Carta Aberta ao Sr. Guilherme Campos, presidente dos Correios

  1. Márcio Poli Fernandes Barbosa

    Prezado Sr. Júlio:

    Quero prestar minha integral solidariedade ao seu desabafo e reiterar uma sugestão que já tive oportunidade de lhe fazer em outra ocasião: a de formalizar uma representação no Ministério Público Federal (MPF) aí em Jundiaí mesmo, contendo todos esses fatos descritos em sua carta e todos os outros mais que ache pertinentes, inclusive sobre o descaso com a filatelia.
    Trabalho no MPF em Mato Grosso do Sul e já vi situações semelhantes envolvendo o INSS, Caixa Econômica Federal, Infraero, Embrapa, Ministério do Trabalho entre tantos outros órgãos e empresas públicas federais. Muitos dos casos tiveram razoável melhora no atendimento após a intervenção do MPF e em outros tantos, foram ajuizadas ações na Justiça Federal cobrando melhorias na prestação de serviços ao cidadão.
    Vejo, acompanhando seu informativo e com minha própria experiência de usuário que, com os Correios, a solução parece não ser outra.
    Parabéns por seu trabalho e por sua luta.

    Márcio Poli Fernandes Barbosa

  2. VITTORIO ESPOSITO

    Endosso plena e irrevogavelmente os dizeres da carta do sr. Julio Cesar, de Jundiai(SP), dirigida ao sr. Presidente dos Correios e Telégrafos. Que ele tome as providências cabíveis.

  3. José Carlos Correia Marques

    Em primeiro lugar, CORAGEM: dar a cara à bater assim como você fez, demonstra coragem. Mas, fique tranquilo (acho que está), seus argumentos são tão claros, as provas tão contundentes, que, do outro lado, caso haja seriedade e competência, a resposta não poderá ser outra senão fazer averiguações e tomar algumas medidas que mudem esse quadro. Na ausência dessas medidas, entendo que também há ausência dos adjetivos sério e competente a quem a carta foi destinada.
    Os filatelistas e usuários em geral dos Correios com certeza te apoiam nesta atitude corajosa, onde você exerce o seu papel de cidadão consciente que exige respeito dos governantes desse país aos seus governados e contribuintes, nós.

  4. Moacyr Carlos Baptistini

    Sr. Julio, parabéns por sua iniciativa, coragem e pesar com os serviços dos CORREIOS, espero que sua carta seja lida pelo PRESIDENTE e que ele tome as mediadas cabíveis, para voltarmos a ter uma empresa confíavel e prestadora de bons serviços.
    Moacyr Carlos Baptistini, Araraquara, São Paulo.

  5. CARLOS ALBERTO BATISTA DA SILVA

    Sr. Julio,
    Faço minhas as suas palavras. Parabéns.

    Abraço,

    Carlos Alberto Batista da Silva
    Rio Claro-SP

  6. Wellington Carlos

    Olá senhores, gostaria de deixar também um comentário.
    O fato dos Correios não funcionarem mais aos sábados realmente comprometeu a vida de quem ainda trabalha e tem uma jornada semanal. O sábado sempre foi reservado, pelo menos para mim, para os encontros filatélicos. Quando morei em Manaus as manhãs de sábado eram ótimas e produtivas. Primeiro fecharam a agência filatélica, depois o própria correio não abria mais aos sábados. Estou morando em Aracaju há dois anos. Ainda peguei logo no início, o correio aberto aos sábados, onde acontecia as reuniões dos filatelistas. Agora com a agência fechada, os encontros são nas tardes das primeiras quintas-feiras do mês. Ou seja, para quem trabalha numa jornada normal de oito horas impossível participar; por exemplo eu. Só os aposentados que frequentam as reuniões. Ou seja, mais um empecilho para quem gostaria de praticar esse passatempo tão educativo e participar de reuniões dos clubes que são muito produtivas. A saída é praticar filatelia na solidão de meu escritório e contactar as pessoas via mundo virtual. Saudações Julio e parabéns pelas suas iniciativas. Abraços.

    Wellington Carlos
    Aracaju-SE

  7. Marcos Boaventura

    Eu mandei um simples cartão de Natal para o Júlio Castro em 19 de dezembro de 2016 e ele só recebeu em 10 de janeiro de 2017. Espero que o plano de telefonia móvel (que não tem nada a ver com o serviço postal) seja mais eficiente que isto.

  8. Cadmo Soares Gomes

    Todo o apoio ao teor da carta do sr. Julio Castro aos Correios. O que ele escreveu é o que todos nós, usuários dos Correios, colecionadores de selos ou não, sentimos. Espero que a carta seja lida pelo destinatário e tomadas as providências cabíveis. Pensar que até o fim dos anos 80 tínhamos um dos melhores Correios do mundo e hoje estarmos reduzidos a isso, é desanimador.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: