Minha viagem a Brasília

Os amigos que me conhecem há mais tempo sabem que anualmente peço reunião com o gestor de Filatelia dos Correios e vou a Brasília, para levar as minhas críticas e sugestões, numa tentativa de melhorar um pouco o atendimento filatélico na ECT.
Sabemos o quanto é difícil conseguir mudanças numa empresa como os Correios, tão amarrada em regulações e que passou por uma séria crise num passado recente, para a qual, não me conformo, a Filatelia é a última das últimas prioridades.
Mas não me canso de tentar, teimosia é o defeito (ou qualidade) de qualquer taurino com ascendente em Touro…
Pois bem, dessa vez a reunião foi marcada rapidamente. Também foi muito rápida a minha estada em Brasília, chegando lá na noite de segunda-feira dia 11 e retornado no início da noite do dia seguinte.
A querida amiga Lourdinha (Maria de Lourdes T. A. Fonseca), que dispensa apresentações para a maior parte da comunidade filatélica (chefiou a Filatelia na ECT por longos anos), pegou-me no aeroporto e fomos a uma pizzaria, onde nos encontramos com os amigos Adhemar Gonçalves (atendente ECT apaixonado pela Filatelia) e Alex Maia, filatelista e amigo de longa data. Jantar onde o único assunto foi a Filatelia, logicamente.
Na terça-feira passei o dia no Museu Postal, onde funciona atualmente a Gerência de Filatelia. Como sempre, fui muito bem recebido por toda a equipe, alguns também amigos de longa data. As reuniões foram com a atual Gerente Nacional de Filatelia, Luciana Ramos, e com a Eliane Sá Reis, que, além de responsável pelos selos personalizados, é apaixonada pela Filatelia e faz o que pode para atender as demandas filatélicas que levo até ela.
Abordamos vários assuntos. O principal foi a distribuição dos selos postais para a Central de Vendas à Distância, agências filatélicas ou agências centrais onde têm forte demanda dos filatelistas. Há algum tempo o controle dessa distribuição saiu da Gerência de Filatelia, passando para a área comercial da empresa. Não deu certo, tanto que muitos de vocês estão tendo dificuldades para encontrar lançamentos recentes nas agências. Para esse problema, consegui a solução pretendida, retornando o controle de distribuição para a Gerência de Filatelia, que prometeu resolver o problema da falta de selos nas agências o mais rapidamente possível.
Os selos personalizados também entraram em pauta. Muitos filatelistas ainda torcem o nariz para eles, mas acredito que é por falta de conhecimento ou uma aversão natural a novidades. Vieram para ficar e fiz algumas sugestões para melhor divulgação e comercialização dos mesmos.
Outra reivindicação que levo a anos e repeti agora: poder despachar materiais filatélicos (classificadores, protetores, álbuns…) na modalidade impresso com registro módico. Exemplifiquei: na semana passada despachei um classificador Bahia (mais ou menos 1.500 gramas) para o interior da Bahia. Foi por encomenda tipo PAC, R$ 38,70. Se fosse como impresso com registro módico, ficaria R$ 17,35. Em um país continental como o nosso e carente de lojas filatélicas, principalmente nas regiões norte, nordeste e centro-oeste, os Correios bem que poderiam facilitar a aquisição dos materiais pelos filatelistas.
Bom, não dá para colocar aqui toda a pauta discutida, mas voltei esperançoso que as coisas vão melhorar. Já teve reuniões das quais voltei desanimado, sabendo que a viagem tinha sido em vão. Dessa vez não, ao contrário: a gerente Luciana Ramos se mostrou muito atenciosa e com a maior boa vontade em implantar melhorias que atendam a comunidade filatélica.
Após o almoço, tivemos outra reunião no Edifício Central, com a Rosângela Alves dos Santos, chefe do Departamento de Varejo e Outros Negócios, ao qual a Gerência de Filatelia está subordinada, que também se mostrou muito atenciosa às minhas reivindicações.
Antes de vir embora, uma passada rápida na Agência Conceito, onde o amigo Adhemar Gonçalves atende no balcão filatélico. Agência bem caprichada, fiquei impressionado. Lá encontrei por acaso os amigos Wady Vidal e Roberto Silveira, que voltou a morar em Brasília recentemente.
Foram exatas 23 horas na capital federal. Dia cansativo, mas necessário e compensador…

viagembrasilia01
Pizzaria com amigos: da esquerda para a direita, sentido horário:
Eu, Adhemar Gonçalves, Lourdinha e Alex Maia
viagembrasilia02 viagembrasilia03
Elevador do Museu Postal:                 No saguão do Museu Postal, com
propaganda do selo personalizado                            Eliane Sá Reis

Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: