Protetores para selos Maximaphil: explicações sobre a falta no mercado

Eu tenho ciência da nossa responsabilidade para com os filatelistas em relação aos protetores para selos Maximaphil, por serem os únicos produzidos no país, com preços acessíveis se comparados aos importados. Por isso, resolvi explicar a todos o que está acontecendo com a produção dos mesmos:
O fabricante dos protetores, meu querido amigo Vlademir Justo, quando mudou-se de São Paulo para o interior me propôs uma parceria: continuaria fabricando-os e me entregaria toda a produção, para que eu distribuísse no atacado aos demais comerciantes e vendesse no varejo para os meus clientes. Impôs uma condição: que eu divulgasse ao mercado filatélico que havia adquirido a fabricação dos protetores, pois ele não queria mais atender comerciantes e filatelistas, haja vista outras atividades que assumiria no interior. Continuaria a produzir, mas não queria a tarefa da distribuição.
Assim foi feito e a nossa parceria manteve-se de 2007.
Em setembro do ano passado o Vlademir adoeceu, iniciando aí o desabastecimento dos protetores.
Muitos não sabem, mas o processo de fabricação é quase todo artesanal. As bobinas do material são importadas e somente a pintura do fundo preto é terceirizada para uma empresa especializada, que garante a qualidade desse processo. A partir daí, é tudo manual: a soldagem das folhas para cada tamanho, o corte de cada protetor e o empacotamento. Para essas atividades o Vlademir costumava contratar uma pessoa, mas com grande rotatividade de mão-de-obra.
No ano passado só tinha um funcionário na soldagem, o Vlademir e sua esposa cortavam e embalavam, até ele adoecer. Foi aí que a produção ficou abaixo da demanda.
Infelizmente, no final de 2018 o Vlademir faleceu. A doença foi impiedosa, levou o querido amigo cerca de três meses após ser descoberta.
Vocês podem imaginar como ficou, e como ainda está, a sua viúva, a também querida Norma. Estive lá no início do ano, ela tenta aparentar a fortaleza que sempre foi, mas não está fácil. Tem outras atividades, fruto dos planos sonhadores do amigo Vlademir, que sempre estava executando um novo projeto. Alguns desses projetos em andamento, que ela faz questão de dar continuidade por serem sonhos do marido. Mas desde o início do ano a produção dos protetores está praticamente parada, sem mão-de-obra para soldagem, corte e empacotamento.
Pois bem, na nossa parceria também ficou estabelecido que se um dia ele quisesse passar adiante a produção dos protetores, eu teria a preferência na aquisição do negócio. A Norma já me posicionou que deseja me passar essa produção. Nos próximos dias irei até lá para fecharmos a negociação e então trarei a produção para Jundiaí, passando a fabricar os protetores aqui.
O estoque de protetores Maximaphil disponível no mercado hoje está praticamente zerado. Peço desculpas e a compreensão de todos, comerciantes e filatelistas, pois continuará assim por mais dois ou três meses. Tão logo transfira a produção para cá, contratarei um funcionário exclusivamente para isso e aos poucos vamos reabastecer o mercado.

Categorias: Sem categoria | 2 Comentários

Navegação de Posts

2 opiniões sobre “Protetores para selos Maximaphil: explicações sobre a falta no mercado

  1. Obrigado pelo esclarecimento e manifesto meus sentimentos pela perda de seu amigo
    Abraço
    Daniel Elói
    Canoas RS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: